Pre Wedding Andressa & Airton

July 26, 2017

 O que eu posso dizer desse ensaio? Por onde eu posso começar a contar para vocês como foi? Primeiramente posso falar que essa foi a sessão mais louca e ao mesmo tempo a mais extraordinária para mim. Tudo começou quando a Andressa estava à procura de uma locação diferente, que fugia do que estamos habituados a ver. Então, eles sugeriram uma pedreira abandonada que fica logo após Curitiba no Paraná, cerca de duas horas e meia de viagem saindo de Joinville. Eles me mostraram o local pela internet e quando eu vi, é claro que não pensei duas vezes em aceitar o convite. As fotos seriam para o casamento dos dois, que estava logo ali e não esperamos muito para marcar a data da sessão. O dia era uma tarde linda de verão, na qual teríamos luz natural até aproximadamente às 19:30h. Então combinamos de sair de Joinville perto das 14h, com intenção de chegar no local antes das 17h (horário de verão). E quem fotografa sabe que a melhor luz é a do fim da tarde. Mas não contamos com a possibilidade que poderíamos nos perder no meio do caminho, e foi exatamente isso que aconteceu para o nosso azar! Cada rua errada que entravamos, meu coração gritava ao ver aquele sol, aquela luz linda indo embora. Quem é fotógrafo pode imaginar a minha agonia de ver a golden hour (incrível luz que fica disponível por apenas alguns minutinhos, nesse caso, o pôr do sol) indo embora. E você, dentro de um carro, perdida, sem poder fazer nada HAHAHA. Já estávamos perdendo as esperanças quando finalmente chegamos ao local que é no meio do nada por sinal,  quase as SETE horas da noite. Eu estava ciente de que teria no máximo uns 20 minutos para fazer aquela sessão, mas naquela altura do campeonato não poderia decepcioná-los de jeito nenhum, e dificilmente teríamos outra data para fazer novamente a sessão. Então encarei o desafio sem saber ao certo se eu daria conta do recado em tão pouco tempo. Confesso para vocês que nunca tinha trabalhado em uma sessão com tanta pressão assim, mas confesso também que isso me fez um bem danado para que desse certo HAHAHA, vai entender! E o que falar desse lugar? Valeu a pena? Valeu, mas foi um sufoco danado que estou até hoje sem fôlego! Se o resultado compensou? COM CERTEZA! E isso foi devido à esse casal maravilhoso, que toparam o desafio de fazer um ensaio em um período de tempo tão curto assim, que se envolveram, que foram eles mesmos e acima de tudo, assumiram uma tranquilidade sem igual que me surpreendeu. Eu só fui capaz de fazer essas fotos por causa deles, que foram serenos o tempo todo. Quando eu digo que fotografar é uma troca, a troca está nesses detalhes. E é incrível como funciona. Como nos sentimos e como nos emocionamos juntos. Como nos ajudamos e aprendemos coisas boas uns com os outros. A fotografia afetiva é isso, aquela que independente de qualquer situação faz a gente dar o melhor de si e ficar realizado com isso, para que pessoas especiais recebam fotos especiais, custe o que custar. 

 

 

Please reload

POSTS:

Casamento Le & Hermann

August 5, 2019

1/45
Please reload

POSTS RECENTES:

July 30, 2019

Please reload

PROCURE POR TAGS:

Please reload

SIGA-NOS:

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon